Novos Artigos
Loading...

Descobertas Que Aconteceram Acidentalmente

VÍDEO DO DIA
"PARÓDIA REDUBLAGEM DO DEADPOOL - EXCELENTE"




Muitos objetos e alimentos que usamos e consumimos no dia a dia da vida moderna, foram descobertas acidentais, sem o  comprometimento de uma pesquisa direcionada ao produto final inventado.
Aqui estão 11 dessas invenções acidentais que normalmente não nos preocupamos em saber sua procedencia e o processo envolvido na sua elaboração. Simplesmente usamos, consumimos e pronto, não interessando como começou a fazer parte de nossas vidas e ficaram tão populares.




COOKIE COM GOTA DE CHOCOLATE
Em 1930, Ruth Graves Wakefield e seu marido Kenneth Wakefield, eram donos da pousada Toll House Inn, em Massachusetts, e Ruth estava fazendo suas famosas e tradicionais bolachas, quando o chocolate que ela usava na receita acabou. Para substituir o ingrediente, ela usou uma barra de chocolate meio-amargo picado, achando que os pedaços iriam derreter e se misturar a massa. Felizmente, ela se enganou. Os pedaços derreteram sim, mas não se misturaram, criando pequenos oásis de chocolate por toda a extensão do biscoito. Surgia uma das mais tradicionais receitas do mundo.

ANILINA OU MAUVEÍNA
Tudo ocorreu na manhã de 23 de março de 1856, quando o estudante William Perkin, 18 anos, realizava estudos para obter quinina (usada no tratamento da malária). Sua única intenção era oxidar a aliltoluidina , para posterior formação de quinina. Por sorte do destino, seu experimento não foi bem sucedido. Ao final do fracassado experimento, Perkin tentou limpar a “sujeirinha” que fez, com álcool, e notou que o sólido produzido na reação se dissolvia e deixava o álcool roxo. Mal sabia ele que o que tinha em suas mãos seria o primeiro corante sintético, uma descoberta de enorme importância para as indústrias têxtil e química. Perkin nomeou aquela substância de mauveína, responsável pela cor malva.

FORNO DE MICROONDA
Em 1946 o engenheiro e inventor Percy Spencer inventou por acaso o microondas, enquanto fazia experiencias com radares e microondas em um de seus laboratórios da Raytheon Company. Ao ficar na frente de um dispositivo chamado magnétron(responsável pela transformação de energia elétrica em ondas eletromagnéticas), ele notou que que a barra de chocolate em seu bolso se derreteu. Então ajustou o comprimento dessas ondas eletromagnéticas (iguais as de rádio, só que menores) para testar como o magnétron iria agir com grãos de milho para pipoca, e o resultado foi que elas estouraram como da maneira tradicional. A descoberta do microondas estava feita, só que na época era financeiramente inviavel a produção para uso doméstico, somente sendo fabricado e comercializado para lanchonetes e restaurantes. Para uso doméstico só foi fabricado em grande escala a partir de 1967, mais ou menos nos tamanho padrão dos dias atuais.

PICOLÉ
Em uma noite de 1905, Frank Epperson estava à toa na varanda de sua casa, em San Francisco, tomando suco, desses que se dissolvem em agua com. Ele estava usando um pequeno palito para misturar o suco em uma xícara e, quando entrou em casa, ele se esqueceu de levar a mistura para dentro. Foi uma noite muito fria em San Francisco e a queda na temperatura acabou funcionando como uma mágica no líquido esquecido na varanda. Quando Epperson retornou à varanda pela manhã, seu suco havia se transformado em um delicioso pedaço de gelo doce em um palito. A invenção do picolé estava feita, mas só em 1923, ele patenteou e chamou-a Eppsicle, mas seus filhos preferiram Popsicle. Nascia oficialmente o picolé.

PLÁSTICO
Leo Baekeland estava tentando encontrar um substituto para a goma-laca, que tinha um valor muito elevado e uma procura cada vez maior, pois era a matéria prima usada na fabricação de vernizes para madeira e de isoladores elétricos, numa época em que a eletrificação se desenvolvia grandemente. Baekeland, um dos muitos que apostavam na nova indústria da eletricidade, começou a fazer experimentos para encontrar um material artificial e mais barato, capaz de se dissolver em solventes e que fosse tão maleável e moldável como a borracha, e que pudesse se fabricar em grande escala para substituir a goma-laca. Outros químicos na Europa já estavam tentando o mesmo, embora nada conseguissem. Em 1904, Baekeland entregou-se em definitivo à procura do substituto sintético para a goma-laca e em 1907 concebeu o primeiro plástico completamente artificial, que batizou de baquelite (de Baekeland), que na realidade não era o que queria inventar.

PLAY-DOH
Poucos sabem que o Play-Doh já foi usado como um limpador de papel de parede ao lado de fornos de carvão domésticos. Quando a indústria de aquecimento de carvão foi por água abaixo a invenção de Cleo McVicker também foi. Isto até que seu filho Joseph McVicker  descobriu como o super-flexível objeto poderia ser usado como um brinquedo. Em 1955, Joseph McVicker começou a fazer testes do produto com as crianças. No ano seguinte, ele havia aberto a Rainbow Crafts Co., uma empresa cujo único produto era o colorido e reformulado Play-Doh, baseado na invenção de seu pai, que foi um estrondoso sucesso.

BATATA CHIPS
George Crum criou o salgadinho mais famoso do mundo em 1853 no hotel Moon’s Lake House perto de Saratoga Springs, Nova York. Num jantar nesse ano, ele ficou ofendido porque os clientes se queixavam e devolviam suas batatas fritas, reclamando que não estavam crocantes, estavam muito grossas e muito gordurosas, então George Crum resolveu se vingar fazendo uma brincadeira, fatiando as batatas o mais fino possível, fritando-as em gordura quente e depois cobriu-as com sal e apelidou de "Saratoga Chips".A vingança não deu certo, porque os clientes aprovaram a receita e rapidamente "Saratoga Chips" se tornou um artigo popular no hotel e tornou-se conhecida em outros lugares.

NOTA AUTOADESIVA OU POST-IT
Spencer Silver criou uma cola em 1968 para ser duravel, mas era fraca o suficiente para não aderir muito tempo. Ai entra em cena Arthur Fry. Leia o que ele mesmo diz sobre sua invenção em entrevista a revista Exame.
"Eu tinha uma solução esperando por um problema. Um colega de 3M, Dr. Spencer Silver havia inventado uma espécie de adesivo de baixa aderência, mas não sabia como usá-lo. Então, eu descobri o problema enquanto cantava no coral da minha igreja. O nosso repertório era grande e costumávamos marcar as músicas com pedaços de papel. Um dia levantei para cantar e derrubei as partituras no chão.
Enquanto em pé, só pensava em como gostaria de algo que pudesse colar a papelada. Mas, todos os adesivos que eu conhecia da 3M tinham aderência tão forte que despedaçaria o papel. Bom, pensei então em como posso desenvolver um adesivo que tivesse o nível certo de aderência. E foi então que me lembrei da invenção de Silver.
Comecei a trabalhar nessa ideia, fiz à mão e distribui algumas amostras, em forma de marca-livros. Em poucas semanas, outras pessoas do laboratório começaram a pedir mais. “Eureka! Que ótima notícia!”, foi o que disse quando percebi que tínhamos algo maior em mãos.
A ideia de transformá-lo em bloco de notas veio depois e a máquina que possibilitou a fabricação do Post-it nesse formato foi construída por mim, no meu próprio porão. Ninguém tinha tecnologia que permitisse isso. E funcionou!" 

RAIO X
Em 1895, o físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen estudava raios catódicos, fluxos de elétrons fosforescentes posteriormente usados ​​em televisores. Ele cobriu um tubo de vidro com papelão preto, curioso para ver se poderia observar os raios catódicos que escapam do tubo através do papelão. Enquanto tentava e não conseguia ver os raios, ele notou um brilho de vários metros de distância no laboratório. Foi então que resolveu colocar sua mão na frente do tubo, vendo seus ossos projetados na tela. Ele nomeou os raios responsáveis ​​pelo brilho de raios-X, e mais tarde descobriram que podiam ajudar a gravar imagens de esqueletos humanos em negativos de filmes.

SACARINA
Em 1879, quando o químico Constantin Fahlberg comeu os bolinhos para o jantar feitos pela esposa, ele ficou surpreendido com o sabor delicioso dos mesmos. Mas quando ele perguntou o que ela tinha feito com eles, ela disse que eram os mesmos que ela sempre fazia. Fahlberg, que não havia lavado as mãos desde que chegou em casa vindo do laboratório, percebeu o que tinha acontecido. Ao realizar experimentos com alcatrão de carvão, Fahlberg tinha derramado um derivado químico chamado o-toluenossulfonamida em suas mãos. Foi descoberto que a o-toluenossulfonamida é 300 vezes mais doce que o açúcar e é atualmente usada em uma empresa de adoçantes chamada "Sweet'N Low", que foi fundada por Fahlberg depois que ele patenteou o composto químico como Sacarina em 1884.

TEFLON
Em 6 de abril de 1938, o químico Roy Plunkett foi coletar em um recipiente, tetrafluoretileno congelado que seria usado na produção de um gás refrigerante. Quando ele abriu o recipiente para remover uma certa quantidade do material, nada conseguiu retirar. Foi verificar o porquê, e descobriu que havia-se formado um pó branco que não aderiu ao recipiente. O tetrafluoroetileno do recipiente tinha se polimerizado a Politetrafluoroetileno, um sólido ceroso com surpreendentes propriedades como antiaderente, resistência à corrosão e alta resistência ao calor. Ele patenteou o material descoberto como Teflon.





VISITE NOSSO MELHOR PARCEIRO