Novos Artigos
Loading...

O Matador Sanguinário Era Uma Pessoa Comum

VÍDEO DO DIA
"PARÓDIA REDUBLAGEM DO DEADPOOL - EXCELENTE"




Sob a aparência de um tipo comum e sem problemas, o norueguês Anders Behring Breivik passou cerca de dois terços da vida a amadurecer um projeto extremista que, segundo tudo leva a crer, transformou-o num dos assassinos mais sanguinários da História.
Alto, louro, com o olhar penetrante, Behring Breivik, 32 anos, é suspeito de autoria da chacina que custou a vida a 93 pessoas na sexta-feira, que ele admitiu serem cruéis, mas "necessários", segundo seu advogado.
Se suas motivações ainda são um mistério, sua determinação não levanta nenhuma dúvida.
No próprio dia do massacre, ele publicou um longo manifesto na internet no qual detalha seu compromisso ideológico contra o Islã e o marxismo nos nove últimos anos, até o momento fatídico, no outono de 2009, quando decidiu passar à ação.
Apresentando-se como um cruzado(aquele que partia para as cruzadas na Terra Santa e outros lugares), explica como se camuflou para não ver o projeto naufragar prematuramente.
"Para mim, tinha um ar ligeiramente superior", conta Emil Finneruo, um vizinho que frequentou a mesma escola. "Mas era muito limpo e ninguém poderia suspeitar dele", acrescentou.
Segundo sua própria confissão, Behring Breivik teve uma infância comum, com um pai diplomata e a mãe enfermeira, que se divorciaram quando era ainda bebê.
"Tive uma educação privilegiada com pessoas responsáveis e inteligentes em volta", escreveu ele no manifesto.
E jamais teve problemas de dinheiro; sua única tristeza foi a de usufruir de "um excesso de liberdade".

POLÍTICA
"Quando era mais jovem, era um rapaz comum, mas retraído. Não se interessava pela política nesta época", confiou seu pai - com quem Anders perdeu o contato aos 15 anos - segundo o jornal norueguês VG.
Em 1999, aderiu ao Partido do Progresso (FrP), uma formação da direita populista.
Rescindiu a adesão em 2006. Escreveu mais tarde na internet que considerava o partido muito aberto às "expectativas multiculturais" e aos "ideais suicidas de humanismo".
"Os que o conheceram quando era membro da organização dizem que era um pouco tímido e que raramente tomava parte nas discussões", reagiu o FrP.
"Ser 'skinhead' jamais foi uma opção para mim. Seus códigos de vestimentas, suas escolhas musicais são pouco atraentes", acrescentou ele.
No perfil no Facebok, Behring Breivik se diz "conservador", "cristão", interessado pela caça e por jogos violentos como "World of Warcraft" e "Modern Warfare 2".
A propriedade de uma pequena fazenda agrícola permitiu a ele, sem levantar suspeitas, comprar seis toneladas de fertilizantes químicos, que poderiam ter entrado na composição de explosivos.



Anders Behring Breivik (esquerda) com a irmã(centro) e a mãe(direita), com quem viveu durante 30 anos.

Foto tirada do vídeo que Anders postou no Youtube 6 horas antes dos ataques.

Outras fotos do vídeo. Ele gostava de se vestir  com uniformes estilo militar.

Forças Especiais levaram 1 hora para chegar na ilha Utoeya.

Foto aérea da ilha Utoeya tirada um dia antes do massacre.

Foto postada por sobrevivente durante o ataque de Anders, depois de se esconderem-se em local seguro.

Sobreviventes depois de serem resgatados pelas Forças Especiais.

Equipes de resgate montaram acampamento para atender os sobreviventes e recolher os corpos das vitimas, que também estão sendo procuradas com um minissubmarino.

A munição mortal usada pelo atirador: bala Dum-Dum, proibida até em guerras.

Fotos do vídeo feito por um helicóptero mostrando o assassino preparando-se para executar um adolescente, caminhando entre suas vitimas e pessoas que conseguiram fugir a nado do atirador.





A bomba detonada no centro do governo em Oslo. Fonte

LINK CURTO PARA DIVULGAÇÃO NAS REDES  http://bit.ly/oKbIwS  ( copie cole )

ACRESCENTE UMA RENDA EXTRA AO SEU SALÁRIO

VISITE NOSSO MELHOR PARCEIRO